Ia doar três milhões à Cáritas, mas percebeu que dinheiro não chegava aos pobres

Terminou o braço-de-ferro entre Zulmira Lino da Silva e a Igreja Católica que durava há quatro anos e meio. A octogenária, que deu origem a uma investigação do Ministério público à Cáritas Diocesana de Lisboa por burla agravada, recusa entregar a herança de três milhões de euros deixada por uma amiga a esta instituição da Igreja.

Em entrevista exclusiva ao Sexta às 9, a reconhecida notária diz que desistiu da testamentaria porque o Cardeal Patriarca não lhe assegurou que a fortuna seria aplicada na ajuda aos pobres de Lisboa.Sem essa garantia, Zulmira Lino da Silva considera não ter condições de cumprir, em consciência, a ultima vontade da amiga.

Fonte: MSN

Comentários