Primeiro-ministro defendeu “credibilidade” do ministro das Finanças “interna e externamente” e considerou “ridículas” as últimas notícias sobre investigação a Centeno por causa de dois bilhetes de futebol

Mesmo que venha a ser constituído arguido não vejo nenhum motivo para sair do Governo”. Foi assim que António Costa comentou esta segunda-feira as buscas ao Ministério das Finanças e a investigação que decorre no Ministério Público sobre Mário Centeno.

“Não será seguramente por este caso que deixará de ser ministro das Finanças”, prosseguiu o primeiro-ministro, insistindo que “nada que veio a público belisca” a sua confiança em Centeno, que é também presidente do Eurogrupo.

À margem de uma cerimónia sobre o espólio do Novo Banco, Costa defendeu “a dignidade e seriedade” de Centeno, reiterando a sua confiança no ministro: “Em circunstância alguma sairá do Governo”. E acrescentou respeitar e colaborar com a justiça. Mas, sublinhou, “quem decide a composição do Governo sou eu e eu mantenho toda a confiança” no ministro, considerando “ridículo” a ideia de que a ida a um jogo de futebol pode corromper alguém.

“Se a nossa idoneidade vale o preço de um jogo de futebol, por amor de deus”, comentou ainda.

Costa distinguiu este caso do Galpgate que levou à demissão de três secretários de Estado, explicando que aí foram os próprios que pediram para sair e explicou que muitas vezes as pessoas percebem mal o que significa a condição de arguido na justiça. “Existe para a defesa dos direitos dos próprios”, explicou.

O PM reconheceu, porém, que a notícia das buscas no Ministério das Finanças durante o fim de semana teve “muita repercussão internacional” mas que “não põe em causa o bom nome” do ministro.

DÚVIDAS EM BRUXELAS

A investigação que envolve o Ministro das Finanças e presidente do Eurogrupo teve ecos na imprensa internacional, o que levou a que fosse também comentada nos corredores das várias instituições em Bruxelas. Ao que o Expresso apurou alguns eurodeputados tentaram esclarecer junto de colegas portugueses qual a natureza das suspeitas em torno de Mário Centeno e as implicações no desempenho do cargo que ocupa.

Fontes europeias ouvidas pelo Expresso adiantam que não há qualquer discussão formal sobre o assunto. O que para já há são comentários e curiosidade sobre Mário Centeno que este mês assumiu a Presidência do Eurogrupo.

Fonte: Expresso

Comentários