Catarina Martins faz discurso de abertura do ano político reivindicando para o BE papel principal na recuperação de rendimentos. E agitando aquela que deverá ser uma bandeira eleitoral: o investimento.

Parecia um discurso de fim de campanha eleitoral, apesar de estarmos a mais de um ano de eleições legislativas. A coordenadora do Bloco de Esquerda subiu este domingo ao púlpito para encerrar o Fórum Socialismo, a festa de abertura do ano político que desta vez antecede três eleições, e deixar claro que, da próxima vez, estará disponível para ir mais longe no apoio a um futuro governo, admitindo até integrá-lo.

“Aqui estamos para todas as responsabilidades. Somos o Bloco de Esquerda”, disse Catarina Martins com ênfase na voz, quando acabava o discurso

A intervenção serviu para três objectivos: afirmar o Bloco de Esquerda como partido responsável, deixando claro que não deixa de ser um partido de oposição ao PS, mas construtiva; apontar à direita como a origem de todos os males do passado e do presente; e erguer bem alto a bandeira do investimento público, antes que a direita se aproprie dela.

A responsabilidade foi uma espécie de mantra que Catarina Martins entoou repetidas vezes, até em contraste com o PS. Lembrou que o Governo chegou a achar irresponsável aumentar as pensões mais baixas de forma extraordinária ou o aumento dos escalões do IRS e que tal só pela pressão do Bloco se conseguiu: “Alguém hoje é capaz de dizer que foi irresponsável? Não, nem o Governo, ainda bem que o fizemos”. Portanto, concluiu: “É à exigência do BE que se devem muitas das medidas que fazem parte da nossa vida colectiva. Estivemos à altura da responsabilidade que depositaram em nós.”

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *