Taiwaneses dizem não ao casamento homossexual em referendo

Os taiwaneses aprovaram este sábado um referendo contra o casamento homossexual, um passo atrás que pode dificultar a ordem do Supremo Tribunal para legalizar a união entre pessoas do mesmo sexo em 2019.
A votação vai contra a decisão histórica tomada pela Justiça taiwanesa em maio do ano passado, que deu luz verde ao reconhecimento entre pessoas do mesmo sexo e estabeleceu o prazo de dois anos para que fossa aprovada uma legislação.

Os taiwaneses também rejeitaram alterar o nome da ilha em competições desportivas. Propunha-se adotar “Taiwan” em vez da atual “Taipé chinesa”, um claro desafio a Pequim.

No mesmo dia, em que se realizaram dez referendos, o partido no poder, pró-independência, sofreu uma pesada derrota nas eleições locais, levando a presidente Tsai Ing-wen a deixar a direção da formação. A China já saudou os resultados.

O Kuomintang, principal partido da oposição, mais aberto a compromissos com a China, disse ter conquistado a presidência de 15 dos 22 municípios, quando no anterior escrutínio tinha obtido apenas seis.

O Partido Progressista Democrático (PPD), que tinha 13, indicou ter conseguido seis.Tsai e o PPD são assim penalizados pela deterioração dos laços com a China, que continua a considerar Taiwan como parte integrante do seu território.

“Enquanto dirigente do partido no poder, assumirei a total responsabilidade pelo resultado das eleições locais de hoje. Demito-me do meu cargo de presidente do PPD”, anunciou Tsai à imprensa.

“Os nossos esforços não foram suficientes e desiludimos os nossos apoiantes”, adiantou a Presidente, apresentando as suas “sinceras desculpas”.

Tsai Ing-Wen, eleita em 2016, tinha apresentado as eleições como um referendo à vontade da sua administração em manter a independência da ilha face a Pequim.

Lusa

Fonte: Sic Noticias

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *